"Isn't it... Cruel?"
Posted: 3 days ago on 14/4/14 at 7:29pm

sakura-no-hanabira:

カゲプログ3 By くく

※Permission to upload this was given by the artist.

Translation + typeset by me, cleaning by Hori.

Bonus under the cut.

Read More

Posted: 3 days ago on 14/4/14 at 7:28pm

blackwallflower:

avelandthesea:

Abandoned Amusement Park in New Orleans

I really wanna go there

i always reblog stuff like this, the earth is taking it all back. 

(Source: long-live-the-alex-and-the-brave)

Posted: 1 week ago on 08/4/14 at 1:48pm
Posted: 3 months ago on 16/1/14 at 10:45am
Posted: 6 months ago on 16/10/13 at 11:51am
origin · via with 1 note (Reblog)
Tags: #roleplay
「omoshiro❥ hαnbun∙∙∙!」 ││ `mεεting: SαbitsukiაƐdgε。

aboywitha-fearlessheart:

               ‹✮▪▪▪ : Já fazia algum tempo desde que Edge havia parado para relaxar um pouco. E, apesar dos problemas restantes com a SRF, sobre organização, buscas e afiliais técnicos, ele ainda poderia ter um tempo para si mesmo. “Vá descansar. Tome um ar. Você está precisando”, lembrou-se da fala do comandante. E igualmente, mal podia se lembrar da última vez que ficara sozinho e desprovido da companhia de Reimi ou dos outros. Sim, era bom ficar um tempo à sós com os próprios pensamentos e reflexões, e apesar do sentimento de harmonia que o dominava, este o inquietava igualmente. Era extrovertido e hiper-ativo, e quando não estava fazendo nada, sentia-se inútil e inquieto. Qual era o sentido de ficar agonizado pela própria energia, se queria nada mais parar e ficar sem fazer nada, apenas relaxando? Aquilo parecia bastante estranho.
                       Um suspirou corrompeu o silêncio. Já era hora do crepúsculo no planeta de Aeos. Não sabia exatamente o motivo, mas sempre encontrava-se mais calmo naquele planeta, apesar de todas as coisas traumatizantes das quais passará ali. Talvez por ter sido o início de sua jornada e encontrado seu primeiro companheiro intergaláctico? Não era uma suposição descartável, afinal.
                      Rindo de suas memórias tolas, encostava as coisas numa pedra saliente enquanto observava o pôr do sol no mar calmo e fresco. O cheiro de maresia era impossível de não se envolver, e a tranquila brisa que o banhava amenamente era como um pedido por relaxar. Fechando os olhos por um momento, respirou fundo aquele ar tão natural e belo. Como poderia existir em demasia um cenário como aquele ali, naquele planeta inabitável, e não ter quase nada em outros lugares tão mais povoados? Qual era o sentido de seres destruírem uns aos outros em prol de uma evolução que só levaria há guerra e desastre? Não fazia sentido algum. Talvez o universo, em si, não fazia sentido nenhum.
                     –– Não é triste… É… Apenas solitário, não é…?
image

                     Suspirou uma vez mais. Aquilo o incomodava. Tanta beleza em um só lugar, mas devastada pela falta de compreensão e por monstros que habitavam aquele lugar. Talvez nem fossem monstros, apenas animais assustados com aquelas naves espaciais que faziam tanto barulho e que ameaçavam a expulsá-los de seus ninhos.
                    Ao ouvir um barulho de um galho se partindo, virou as costas em direção à floresta que estava metros distante da região praieira. Colocando a mão próxima a sua leal espada, ficava a observar. De onde tinha vindo aquele barulho? Inimigo ou amigo? Monstro ou pessoa?
                     –– Alto! Quem vem lá!? Identifique-se, imediatamente! Caso não tenha intenções violentas, por favor, saia calmamente de seu esconderijo para onde possa vê-lo.

image

.

。。。

Onde você está dessa vez, Sabitsuki? ” Era a única coisa que vagava pela mente da garota, que tinha cabelos curtos em um tom extremamente branco, estavam bagunçados como quem tinha acabado de acordar, e seus olhos eram vermelhos quase sangue. Usava uma regata roxa e uma saia branca.

Pensava consigo mesma, não sabia onde estava, e esse era o único nome que tinha. Não possuia ou lembrava de um sobrenome, e pouco se lembrava do que aconteceu antes de acordar no laboratório de seus pais. Estes falaram que ela era uma albina e com um corpo fraco, e por isso, um dia morreu. Eles fizeram muito para trazê-la de volta, e conseguiram, mas a manteram no laboratório como forma de proteção, apesar dela não ficar sempre lá.

Esse lugar era diferente dos que costumava visitar, apesar de sempre se surpreender com cada ‘viagem’. Sempre pode acessar vários lugares pelo laboratório de seus pais, viajar escondido pelo computador tinha se tornado uma rotina, porque sempre encontrava mundos diferentes.

Dessa vez se encontrava no que parecia ser uma floresta normal, não tinha visto nenhum animal ou criatura ainda, o que era um bom sinal. Era realmente diferente do que estava acostumada. Depois de algumas horas vagando, finalmente encontrou uma saída, se deparando com o que parecia uma praia. Saia de forma desajeitada daquele mar verde, tropeçando em algum galho ou outro, quando ouviu uma voz falando em um tom um tanto agressivo. Olhou ao redor, quando viu o loiro com a mão no que parecia uma espada. A albina franziu levemente a testa, ele não parecia ameaça, só estava na defensiva. Respirou fundo, o olhando enquanto saia do meio de árvores e folhas.

–– .. Desculpe, eu não sei exatamente onde estou, e tinha me perdido aqui dentro.

image 

Não confiava nele. Com o tempo aprendeu a não confiar nas coisas vivas que encontrava nos outros mundos, nem mesmo no que parecia humano, mas apesar disso, se aproximou com calma, entrando no campo de visão dele.

Posted: 6 months ago on 16/10/13 at 10:02am